Ex-deputado Beto Albuquerque é indiciado pela Polícia Federal por crime de caixa 2

Investigado pela Polícia Federal por prática de caixa 2, Beto Albuquerque diz que se trata de uma inverdade dita por um delator da Odebrecht.
 
 
 
 

O ex-deputado Beto Albuquerque (PSB-RS) foi indiciado por caixa 2 pela Polícia Federal. A investigação está baseada em uma delação do ex-diretor da Odebrecht Alexandrinho Alencar. Segundo ele, o político teria recebido, entre os anos de 2010 e 2012, R$ 300 mil não contabilizados.

À reportagem, Albuquerque disse que não foi notificado sobre o indiciamento. Ele acrescentou que vai reafirmar o que já está em seu depoimento à PF, que ele realizou acompanhado do seu advogado, Gilson Dipp.

"Trata-se de uma grande inverdade dita por um delator da Odebrecht e restará provado para a Justiça Eleitoral. Em 2008, não fui candidato a nada. Como poderia pedir recursos se não era candidato? E se nunca pedi para mim caixa 2, não pediria para outro por óbvio. Em 2010, a doação desta referida empresa está lá devidamente e legalmente declarada. Não devo e não temo o devido processo legal", afirma o ex-deputado.

Conforme o Ministério Público, do total, R$ 200 mil foram para a campanha à Câmara dos Deputados de 2010 e outros R$ 100 mil, em 2012, para "campanhas municipais de candidatos do Partido Socialista Brasileiro (PSB) no âmbito do Estado do Rio Grande do Sul, operações que teriam sido realizadas pelo grupo Odebrecht sem qualquer registro no Tribunal Superior Eleitoral".

A Policia Federal informou ao G1 que "o inquérito foi concluído e remetido ao Ministério Público Federal em 9 de agosto, e que não irá se manifestar sobre o conteúdo da investigação". Já o MPF afirmou que o inquérito está sob sigilo.

Fonte: G1 RS.